outrossites

Cursou bacharelado em Flauta na Universidade de São Paulo, onde estudou com Antonio Carlos Carrasqueira. Desde 1999, é primeira flauta do Teatro Municipal de São Paulo, se apresentando ao lado de grandes nomes da música internacional, como June Anderson, Boris Belkin, Luciano Pavarotti, José Carreras e Plácido Domingos, entre tantos outros. É também, desde 2000, integrante da Orquestra Jazz Sinfônica, além de participar vários grupos de câmara.

É italiana. Formou-se pelo Conservatório de Música G. Martini de Bolonha, onde estudou com G. Armuzzi e Enzo Porta. Frequentou o Mozarteum em Salzburg com Ruggero Ricci e a Academia Musical Perosi em Biella, com Corrado Romano. Também estudou na Escola Internacional de Música de Câmara do Trio de Trieste, com Franco Rossi da Escola de Música de Câmara para Quarteto de cordas em S. Fiorentino (Firenze). Tem tocado em orquestras como a Orchestra dell'Accademia della Filarmonica della Scala, Orchestra dell'Accademia del Teatro alla Scala, Gli Archi Italiani, Orchestra Sinfonica di Sanremo, Orchestra della Fondazione Teatro Lirico Giuseppe Verdi, Orchestra Sinfonica della Repubblica di San Marino, Parma Opera Ensemble, entre outras. Premiada em vários concursos como o Concorso Internazionale di Musica da Camera di Caltanissetta, F. Schubert e Città di Monferrato. Integrou grupos de câmera como o Trio Schubert, Quartetto Agorà e Quarteto Portinari. Em 1997 gravou um CD, dedicado aos Duos para dois violinos do compositor italiano Giovanni B.Viotti. Venceu o concurso na Orchestra della Fondazione Teatro Verdi em Trieste e integra a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP). Desenvolveu um intenso trabalho pedagógico na ULM, onde lecionou de 2006 a 2008. Possui vários projetos destinados a Música Erudita Contemporânea, destacando sua participação no Percorso Ensemble desde 2007.

Nascido em Cleveland, EUA, começou a estudar música aos sete anos. Frequentou a Northwestern University, em Illinois, e fez mestrado em música pelo Cleveland Institute of Music. Teve como principais professores Alan Harris, Stephen Geber e Regina Mushabac. Em 1989, tornou-se membro da Youngstown Symphony, em Ohio, onde atuou como concertino e foi membro fundador do Youngstown Symphony String Quartet. Em 1992, passou a integrar o Westbrook String Quartet, conjunto em residência da Youngstown State University, e participou do Bay View Music Festival, de Michigan. Também tocou com a Warren Chamber Orchestra e a Canton Symphony Orchestra, de Ohio, e com a Erie Philharmonic, na Pensilvania. De 1996 a 1998, foi professor do Allegheny College e do Westminster College, na Pensilvania. Como intérprete e professor, participou de diversos festivais, como os de Aspen, Keystone, o Strings in the Mountains, no Colorado, e o Bay View Music Festival, em Michigan. Na Osesp desde 1998, é também membro do trio PiuCello! e do Trio Súbito.

Eduardo Gianesella formou-se em Percussão no Conservatório de Tatuí com o professor Javier Calvino, graduou-se na Unesp com o professor John Boudler e obteve o mestrado na Eastman School of Music com John Beck, como bolsista do CNPq. Integrou diversos grupos musicais como a Orquestra Experimental de Repertório, a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, a Orquestra Sinfônica Brasileira, o Grupo Novo Horizonte de Música Contemporânea, e foi vencedor do Concurso Jovens Solistas da Osesp e do Prêmio Eldorado de Música - 86, junto ao Grupo Piap de Percussão. Em 1998 produziu e coordenou o I Encontro Pan-Americano de Percussão, realizado no Memorial da América Latina, em São Paulo. Foi colunista da revista Batera/Percussão, abordando a percussão erudita. De 1991 a 1997 foi professor e diretor do Grupo de Percussão do CDMCC de Tatuí e tem atuado como professor convidado dos principais cursos e festivais de música do país. Ministrou também cursos e masterclasses em vários países como Estados Unidos, Argentina, Uruguai, Costa Rica, Guatemala, Escócia e Dinamarca. Tem gravado inúmeros CDs e realiza frequentemente turnês pela Europa, Japão e pelas Américas com os diversos grupos em que tem atuado. É professor de Percussão e codiretor do Grupo de Percussão do Instituto de Artes da Unesp desde 1993 e integra a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo desde 1994. É também integrante do Percorso Ensemble de música contemporânea.

Pianista recifense radicado em São Paulo desde 1993, Horácio Gouveia é detentor de vários prêmios, entre eles: XVI Concurso Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (2005); 2º lugar no I Concurso Cultura FM – Prêmio PROMON (1996); 2º lugar e “Melhor Intérprete de Música Brasileira” no Concurso Internacional Guiomar Novaes em Barra Bonita (1997). Como bolsista do DAAD estudou na Universidade Albert Ludwig em Freibug (Alemanha) em 1996. Seu repertório abrange obras compostas desde o período barroco até o século XXI, nos âmbitos do piano solo, da música de câmara e dos concertos com orquestra. Sob a orientação de Jacob Herzog realizou pesquisa de Mestrado na UFRJ sobre a interpretação da obra de György Ligeti. Atualmente é professor e co-repetidor da Faculdade de Artes Alcântara Machado (FAAM) em São Paulo, além de cursar Doutorado em Musicologia na USP, pesquisando obras de György Kurtág.

A russa Liuba Klevtsova começou a estudar harpa aos sete anos em Moscou. Aos 15, entrou para o Colégio de Música do Conservatório Tchaikovsky, na classe de Vera Dulova, e passou a se apresentar como solista nas principais salas de concerto da Rússia. Em 1997, foi diplomada no Concurso Internacional de Música de Moscou e, no ano seguinte, tornou-se professora oficial da escola de música da cidade. Após realizar tournée pela Romênia e França, com o maestro Zubin Mehta, Liuba entrou para a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.

O canadense Peter Pas estudou na Universidade de Saskatchewan e, em 1990, partiu para os Estados Unidos para aperfeiçoar-se em Viola nas universidades de Indiana e Yale. Seus principais professores foram Jesse Levine, Atar Arad e Csaba Erdelyi, tendo estudado ainda com Rivka Golani, Karen Tuttle, Stephen Kondaks e Gerald Stanick. Realizou masterclasses com músicos como Pinchas Zukerman, Nobuco Imai, Paul Neubauer, Emmanuel Vardi, Alan de Veritch, Rainier Moog, Yitzhak Schotten, David Chen e Peter Slowik. Foi primeira viola na Yale Philharmonia, New Music New Haven, New Music Ensemble da Universidade de Indiana, no Festival de Spoleto, na Bloomington Pops Orchestra e nas sinfônicas de Columbus, Saskatoon e Waterbury. Tocou ainda com a Orquestra de Câmara de Indianápolis e as sinfônicas de New Britain, West Chester, Ridgefield, New World, South Bend, Richmond, Bowling Green, Evansville e Owensboro.

Começou seus estudos na Escola Municipal de Música de São Paulo, bacharelou-se na Faculdade Carlos Gomes, também de São Paulo e fez estudos de aperfeiçoamento na França (com Guy Deplus) e na Itália (com Francesco Belli). Primeiro clarinetista na Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e professor do Instituto de Artes da UNESP, é presença constante em importantes Festivais de Música como os de Curitiba e Campos do Jordão. Destacou-se no Ciclo Brahms, ao lado de Antônio Meneses, Gilberto Tinetti, José Feghali, Paulo Ghori e do Quinteto de Cordas Bela Bartók, executando grande parte do repertório de câmara para clarinete. Como instrumentista, participou da gravação de mais de 20 álbuns de diversos artistas. Foi laureado em importantes concursos, destacando-se o Jovens Solistas de Piracicaba (SP), o Jovens Intérpretes da Música Brasileira (RJ), o Sul América - Jovens Concertistas Brasileiros I e II (RJ), o II Prêmio Eldorado de Música (SP) e o I Concurso Jovens Solistas EPTV-MG. Desde 1994, Burgani trabalha paralelamente com Luis Eugênio Afonso, Luca Raele, Nivaldo Orsi e Edmilson Nery no Sujeito a Guincho, um grupo de clarinetistas de vanguarda que interpreta música erudita contemporânea, jazz, choro e MPB, em composições próprias e arranjos inovadores. O primeiro CD do grupo (gravadora Eldorado, 1995) recebeu o Prêmio Eldorado de Música em 1995 e o Prêmio Sharp de Música para melhor álbum de grupo instrumental em 1996. Em 2001, o grupo lançou seu segundo CD, "Die Klarinetmaschine", pela YBrasil. Nos últimos anos, Burgani também desenvolve um trabalho em duo com o pianista Luiz Senise, tendo-se apresentado em várias cidades brasileiras, com referências elogiosas por parte da crítica especializada.

Cassia Carrascoza, flautas
Douglas Kier, violoncelo
Horacio Gouveia, piano
Sergio Burgani, clarineta
Simona Cavuoto, violino

Alex Tartaglia, trombone
Alfredo Lima, percussão
Carlos Freitas, trombone
Carlos Sulpício, trompete
Cassia Lima, flautas
Claudio Torezan, contrabaixo
Dárcio Gianelli, trombone
Eduardo Gianesella, percussão
Elisa Monteiro, viola
Emerson Teixeira, trombone
Francisco Formiga, fagote
Giuliano Rosas, clarinetas
Heitor Fujinami, violino
Herivelto Brandino, percussão
Jose Arion Linarez, fagote
Jose Costa, trompa
Liuba Klevtsova, harpa
Lúcia Cervini, piano
Marcelo Matos, trompete
Marcia Fernandes, percussão
Luís "Montanha", clarone
Natan Albuquerque, c. inglês
Nivaldo Orsi, clarinetas
Pedro Gadelha, contrabaixo
Peter Apps, oboés
Peter Pas, viola
Richard Fraser, percussão
Rogério Wolf, flauta
Rubén Zúñiga, percussão
Samuel Hamzem, trompa
Tatiana Vinogradova, violino